• 728x900-Amsterdam-Portugese

Ushuaia – Subindo o Cerro Martial

Para fechar a série sobre a viagem a Ushuaia, nada melhor do que contar minha maior aventura por aquelas terras: a subida ao Cerro Martial.

 
Cerro Martial
 

Como podemos ver na foto acima, a cidade de Ushuaia é cercada por uma cadeia de montanhas, sendo a mais famosa delas, ou pelo menos a mais turística, o Cerro Martial. A característica mais interessante dele é a possibilidade de acessar o Glaciar Martial com certa facilidade, pelo menos no verão. No inverno, isso já fica bem mais difícil, pelo menos para nós pobres mortais, sem treinamento específico. Deixamos essa dura tarefa para os alpinistas profissionais ou pelo menos com mais experiência.

O complexo de montanha Centro Glaciar Martial fica a pouco mais de 5 km da do centro da cidade. Para chegar até ele, a gente pode contratar um passeio com uma  das inúmeras agências de viagem de Ushuaia ou pegar um táxi e ir por conta própria. Eu escolhi a segunda opção e paguei 45 pesos pelo táxi (depois eu acabei descobrindo que no período que fui, de baixíssima temporada, as agências não estavam mesmo oferecendo o passeio ao Martial).

Uma coisa que não podemos esquecer é que se Ushuaia já é uma cidade gelada, lá em cima as temperaturas são ainda menores. No dia que fui a temperatura lá em cima estava em torno de -10º C, com sensação térmica de -15ºC. Então, é primordial um bom agasalhamento e preparação para neve. Na minha preparação, três camadas foram suficiente: na parte de cima, a camiseta térmica, uma camiseta de algodão grossa e o casaco impermeável; na parte de baixo: calça térmica; calça jeans e a calça impermeável. Completando o conjunto botas impermeáveis e meias térmicas. Ahh e não poderia esquecer das luvas e do gorro. A maioria desses itens eu já tinha, exceto a calça impermeável, imprescindível para subir a montanha, pois caso começasse a nevar muito, como de fato ocorreu, a calça jeans poderia encharcar e se tornar um problema. Para não comprar um item que iriar usar tão poucas vezes, eu aluguei a calça. Na Rua 9 de Julio, bem próximo da esquina com a San Martín, tem uma loja de aluguem de roupas e material para inverno, a Jumping Ushuaia. Para se ter uma ideia, o aluguel só da calça por um dia fica em 150 pesos, algo em torno de 45 reais, no câmbio de janeiro de 2016. Se quiser saber mais sobre os preços, basta entrar no site da loja.

Hora de subir o Cerro Martial

Chegando ao complexo, a gente encontra duas ou três lanchonetes e o teleférico que nos ajuda na subida dos 1.180 metros da montanha. Ele funciona o ano quase todo, exceto no período de baixíssima temporada, de 1º de maio a 20 de junho, quando fecha para manutenção. Porém, mesmo nesse período, a subida a pé é livre, pois não há nenhum tipo de impedimento no acesso, só a estrutura física que não estará a seu dispor.

 Cerro Martial

Bem, eu fui para Ushuaia no fim de maio. Logo, quando cheguei ao complexo, o encontrei fechado. Falha minha. Não me preparei, nem me informei, simplesmente fui. Na baixa temporada, muita coisa fecha na cidade e não é diferente no Cerro Martial. Então, só tinha dois caminhos: desistia e voltava ou encarava os 1.180 metros a pé, com uma camada espessa de neve no chão e uma nevasca a caminho. Para piorar um pouco mais, não tinha levado comida nem bebida, já que achei que encontraria esses itens para comprar lá. O prospecto era de desistência, mas resolvi encarar. Para resolver o problema de não ter nada para comer, dei a sorte de ter encontrado gente dentro de uma das lanchonetes. Muito simpaticamente, após alguma insistência, me venderam um chocolate e um pacote de biscoitos. Como não sabia quanto tempo levaria a subida, nem a dificuldade e só tinha tomado café da manhã, não quis arriscar subir sem nada e sofrer com uma fraqueza ou uma hipoglicemia.

Cerro Martial 

Comecei a subida. Com bastante receio, digo. A montanha estava bem vazia. Na verdade, na hora que comecei a subir, eu estava totalmente sozinho. Passados uns 200 metros, vi 3 pessoas na minha frente e fiquei um pouco mais tranquilo. Para quem não tem tanto preparo físico (eu), a subida é bem puxada. Depois de uns 500 metros já estava bem complicado. Tanto que duas das três pessoas que estavam na minha frente desistiram. Em pouco minutos, alcancei o colega que também tinha ficado sozinho, o +José Green. Daí pra frente, terminamos a subida juntos. O apoio moral dele foi fundamental para eu conseguir completar a aventura.

Cerro Martial
 

Após mais ou menos uma hora de caminhada, chegamos lá em cima. Muito bom o sentimento de satisfação por ter realizado algo que não conseguiria. A vista lá de cima é muito linda. O cerro coberto de branco, a neve caindo e a cidade vista lá de cima são cenas que jamais esquecerei. Valeu a pena todo esforço! Subir pouco mais de 1000 metros pode parecer pouco, mas para quem nunca tinha feito nada desse tipo na vida, foi uma conquista e tanto! Uma pena que as condições climáticas não permitiam a chegada ao Glaciar. É muito difícil chegar até ele no inverno. Isso a gente deixa para os mais experientes.

Cerro Martial

Uma parada para refrescar

Cerro Martial

O doce e gelado sabor da vitória

Já a descida do Cerro Martial foi bem mais tranquila. Viemos por outro caminho para explorar bem a paisagem do local. Estávamos tão empolgados com a realização que, chegando lá embaixo, resolvemos ir embora para a cidade a pé mesmo para conhecer bem o local. Foram 5 quilômetros e mais ou menos 1 hora e meia de caminhada. Até que foi legal, mas não faria de novo. Meus pés chegaram arrebentados, o que quase prejudicou o restinho da viagem.

Cerro Martial

A vista lá de cima

 

Cerro Martial

Caminho de volta

 Fiquem também com o vídeo de uns trechinhos da aventura.

 
 

Pronto, com o Cerro Martial encerro meus relatos sobre Ushuaia. Espero que tenham gostado! Próxima parada: El Calafate.

About Wesley Andrade

Viajante e escritor do blog Vividas Boas. Não perde a oportunidade de entrar em um avião para conhecer mais um pedaço desse mundo tão grande nessa vida tão curta. As estórias e as dicas acabam aparecendo aqui no blog entre uma viagem e outra.

2 Comments

  1. Pingback: Ushuaia - Navegação pelo Canal Beagle e o City Tour

  2. Pingback: Ushuaia - Os sabores do fim do mundo - Vividas Boas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Seguro viagem geral 728x90