• 1001 - 728x90

Paris: pelas águas do Rio Sena

Rio Sena Paris

O primeiro post sobre Paris foi um roteirinho básico de como foram nossos 3 dias lá. Agora, com mais detalhes, vamos começar a contar a nossa estória parisiense e nada melhor do que começar por um dos símbolos mais famosos  e charmosos da cidade, o rio Sena, la Seine, em francês, se preferir. 

O Sena, com seus 776 km de extensão, nasce no planalto de Langres, cruza a capital francesa e deságua no oceano Atlântico, próxima a Le Havre. Em Paris, num percurso de 13 km, ele divide a cidade em duas partes: a da margem esquerda, Rive Gauche, e a da margem direita, Rive Droite. E, para conectar as duas margens, 37 pontes se impõem na paisagem parisiense. Dentre as mais famosas, imortalizadas tantos artistas, estão as pontes Neuf (a mais antiga), Alexandre III, des Arts e du Carrousel, só para citar algumas.

Rio Sena Paris

E como curtir uma das pérolas de Paris?

Como disse acima, são 13 quilômetros de rio cruzando a capital francesa, mas, na verdade, o trecho mais famoso que vai da Torre Eifel até o Museu de História Natural tem pouco mais de 5 quilômetros. Ou seja, se você quiser curtir cada centímetro das margens, ver com detalhe cada ponte, dá para fazer esse pedaço caminhando sem muita dificuldade. A gente optou por percorrer só uma parte. Saltamos na catedral de Notre-Dame e fomos caminhando, curtindo a paisagem até a Avenida Champs-Élysées. Nada, nada essa brincadeirinha rendeu quase 4 quilômetros de caminhada, mas valeu muito a pena. Pena que não tínhamos levado o cadeado para colocarmos na Pont des Arts. Melhor assim, as coitadinhas das pontes não estão mais aguentando tanto amor.

Rio Sena Paris

Outra forma é relaxando bem pertinho do rio, às suas margens. Se o clima estiver agradável o suficiente, vale a pena descansar da correria da viagem fazendo um piquenique, tomando um vinho ou simplesmente curtindo um solzinho. No verão, as margens do Sena ficam lotadas de parisienses e turistas ao sol. É a “praia” urbana de Paris. Foram criados espaços de convívio, jardins, barzinhos, áreas de jogos e estrutura com banheiros. O projeto começou a ser colocado em prática em 2012 pela prefeitura de Paris e deu uma roupagem nova às bordas do Sena.

Rio Sena Paris

Agora, “saving the best for last”, a forma mais charmosa de curtir o Sena: de barco. E há variadas opções para todos os bolsos e gostos. Em vários pontos das margens, principalmente perto dos principais marcos turísticos da cidade, saem barcos de diferentes empresas oferecendo sua experiência pelas águas do Sena, sendo que a maior concentração fica aos pés da Torre Eifel. As mais famosas são a Bateaux-Mouches, a Bateaux Parisiens e Bateaux Vedettes du Pont Neuf

Um tour básico, com pouco mais de uma hora de duração e com guias narrando a viagem em francês e inglês, custa de 12 a 18 euros dependendo do dia e da empresa. Algumas empresas também têm áudio-guia em diversos outros idiomas, inclusive o português. Vale conferir. A volta completa saindo dos arredores da Torre Eifel, passa pelo Museu D’Orsay, dá a volta na Catedral de Notre-Dame, cruza a frente do Louvre e volta para a região da Torre. Os horários podem variar um pouco, de acordo com o dia e com o clima, mas, em geral, eles saem de 9 da manhã às 8 da noite.


Você ainda pode apimentar um pouco mais o passeio e acrescentar alguns extras que darão um pouco mais de charme e requinte à navegação. Tem desde uma simples refeição até um jantar ao por-do-sol. Aí o valor sobe um pouco, fica em torno dos 100 euros, mas pode chegar facilmente aos 150 euros por adulto, dependendo do menu escolhido. Para os mais animadinhos, além do jantar, há até shows a bordo das embarcações em alguns horários. Claro que  preço sobe mais um pouco e a opção sai pela bagatela de 260 euros, em média. Se você for em alta temporada, talvez seja interessante fazer a reserva pela internet, para não correr o risco de chegar lá e não ter vaga no horário que deseja e ter que perder preciosos minutos da viagem esperando.


Rio Sena Paris


Agora, se você quiser não só curtir o rio, mas utilizá-lo como meio de transporte, há uma opção com um excelente custo-benefício: o Batobus. Foi a nossa escolhida. Como estávamos numa viagem bem low-budget, decidimos só fazer a navegação mais simples mesmo pelo Sena. E assim que descobrimos o Batobus, não tivemos dúvidas que ele era nossa escolha, especialmente por 2 motivos: poder comprar passe para mais de um dia, deixando o valor bem mais em conta (o tíquete para 1 dia custava 16 euros e para 5 custava 21); e possibilidade de embarcar e descer em qualquer uma das oito estações, quantas vezes desejássemos. 

 
Rio Sena Paris Batobus
Percurso do Batobus
 

Para o nosso nível de exigência foi uma ótima escolha. O barco é bem confortável, também tem guia em inglês e francês e oferece opção de comprar pequenos lanches à bordo. O único pequeno desconforto é que em alguns horários ele fica bem cheio, mas nada que tenha comprometido a qualidade do serviço. Usamos e abusamos do Batobus nos 3 dias que perambulamos por Paris.


Rio Sena Paris Batobus


E foi assim que desfrutamos das belezas do Sena. Seja caminhando às suas margens ou navegando as suas águas, ficamos encantados com a cidade vista do rio, com o sol escondendo-se por trás de grandiosas pontes e com o passear sereno ao final da tarde.


Rio Sena Paris


“I could spend my whole life watching the Seine flow by. It is a poem of Paris.”

Blaise Cendrars (poeta suíço)

Até o próximo post. Ainda tem mais um pouquinho a ser dito sobre Paris.


About Wesley Andrade

Viajante e escritor do blog Vividas Boas. Não perde a oportunidade de entrar em um avião para conhecer mais um pedaço desse mundo tão grande nessa vida tão curta. As estórias e as dicas acabam aparecendo aqui no blog entre uma viagem e outra.

One Comment

  1. Pingback: Paris: um roteiro bem leve para 3 dias | Vividas Boas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Oferta da Semana 728x90