• Oferta da Semana 728x90

Nova Iorque – Hospedagem, transporte e quando ir

Times Square Nova Iorque

Times Square

Também conhecida como The Big Apple, Nova Iorque é uma cidade fascinante, eclética, cheia de opções e muito, muito grande. A impressão que a gente tem é que, mesmo morando ali, a gente nunca conseguirá experimentar tudo o que a cidade te a nos oferecer.

Nessa minha jornada viajante, já tive a oportunidade de visitá-la por duas vezes, Uma, em 2012, por ocasião das comemorações do aniversário de 15 anos da minha filha mais velha, quando passamos 11 sensacionais 
dias em Nova Iorque!! A outra, bem mais recente, foi agora em 2015, quando passamos as festas de Natal na cidade, num total de 9 dias. Então, com base nessas duas experiências, vamos a alguma dicas para os que querem se aventurar por Nova Iorque.

Hotéis em Nova Iorque


Uma coisa que é consenso dentre os turistas que viajam a Nova Iorque: hotel lá é bem caro, principalmente se a gente não abrir mão de ficar em Manhattan. E mais: quanto mais próximo da Times Square, provavelmente mais cara será a diária. Mas há boas opções com preços compatíveis com o que estamos acostumados a pagar no Brasil, basta dar uma verificada nos sites especializados se o hotel não é nenhum mico, cheio de bedbugs, infiltrações e carpete mofado. Uma boa dica para quem quer pagar mais barato e não tem problema em andar de metrô é sair um pouco do centro e ir para bairros próximos como Brooklyn, Queens ou Long Island. Há ótimas alternativas de hotéis com preços até 30, 40% mais baratos dos que os encontrados em Manhattan. Porém, não deixe de tomar os cuidados necessários para não se chatear: veja se o hotel realmente fica próximo a uma boa linha de metrô; dê uma olhada nas avaliações de outros hóspedes, especialmente de brasileiros, pois a possibilidade de ter um gosto parecido para hospedagem é maior do que em relação a um estrangeiro.

Na primeira estadia, fiquei todo o período no “The Edison Hotel”, ali no coração da Times Square. É um três estrelas com preços bem interessantes. A gente pegou uma super promo e pagou cerca de 90 dólares na diária do quarto duplo. Mas fora da promoção é possível achar quartos duplos por menos de 150 doletas, o que para Nova Iorque não é nada mal. E aprovei bastante a estadia. Quartos bem arrumados, sempre limpinhos, com TV a cabo. Receberam minhas encomendas sem cobrar nada a mais e possuem um bom serviço de concierge. O pessoal da recepção é muito educado e, inclusive, há um rapaz que fala português, o que pode ser útil caso não domine o inglês. Enfim, mesmo com preços mais módicos, o serviço não deixa a desejar.

Além disso, gostei muito também do bar que fica no lobby do hotel. Boa música, gente bonita e animada.

Para não dizer que não houve nada de negativo, eles não disponibilizam wi-fi grátis, o que não chega a ser um problema, especialmente se você tiver um dispositivo habilitado com 3G. Sai mais barato que usar a wi-fi paga do hotel. Ainda assim, se não quiser gastar com 3G, tem uma Starbucks na esquina da rua do hotel. Na emergência não custa dar uma passada lá e aproveitar do sinal de wi-fi deles.

Já em 2015, como era época de Natal, os preços estavam bem mais salgados. Ainda mais com o dólar na cada dos 4 reais, a solução que encontramos para não gastar todas as nossas economias em hotel foi ficar fora de Manhattan. Achamos boas opções tanto no Brooklyn quando no Queens e optamos pelo segundo pela maior proximidade com com a Times Square e o Central Park. A opção escolhida foi o Holiday Inn – Long Island City, que fica na 39-05 29th Strret no Queens, pertinho da estação de metrô 39 Av. que fica a apenas a duas estações do Central Park e cinco da Times Square, utilizando as linhas N ou Q. O único porém da estação é que ela não é subterrânea, logo é aberta, ao ar livre, o que no inverno pode gerar algum incômodo na espera para quem tem muito problema com frio. Na nossa estada, raramente esperávamos mais que 5, 10 minutos por um trem e o vento e frio eram bem tranquilos, até porque já estávamos agasalhados para andar pelas ruas da cidade. Quanto à estadia no hotel, só tenho elogios. O preço foi bom, pagamos cerca de 100 dólares para um quarto para 4 pessoas. O quarto era bem espaçoso e confortável e há internet wi-fi gratuita em todo o hotel. Se precisar enviar encomendas, também recebem sem custo adicional. E para aqueles que estarão nos Estados Unidos, mas querem matar a saudade do Brasil, há uma churrascaria brasileira dentro do hotel, com funcionários brasileiros e tudo. E a carne de lá é muito boa, além do serviço ser bem farto. A gente gostou bastante.

Nova Iorque - Queens - Metrô Estação 39 Av

Estação 39 Av. no Queens

Mais uma dica final. Na hora de reservar seus hotéis: pesquise bastante. E na atualidade os dois maiores e melhores motores de busca para hotéis são o Booking e o Hotéis.com. Cara um com sua particularidade, pesquisando com eles, é certo que vai achar o hotel que precisa pelo melhor preço. O Booking tem a vantagem de não precisar pagar nada na hora da reserva. Já o Hoteis.com tem a prerrogativa de permitir o parcelamento em até 12x e o pagamento ser feito em reais. Vale dar uma olhada nos dois antes de escolher o que é melhor para você.

Find-the-Perfect-Hotel 728x90

Transporte

 

Como o trânsito em Nova Iorque costuma ser um caos, vale a pena se organizar bem para não perder tempo nos deslocamentos.

Para começar, o primeiro deslocamento que fazemos é do Aeroporto para o Hotel. A maioria dos voos para Nova Iorque vindos do Brasil, chega no maior aeroporto da cidade, o JFK. Nas duas vezes que fui, cheguei por ele, por isso vou concentrar minhas dicas nesse aeroporto. Mas, caso sua viagem chegue em outro aero, use a caixa de comentários, que posso te ajudar numa situação específica.

Fora a opção de pegar um carro e dirigir por conta própria, há três opções interessantes e práticas para quem quer ir do JFK para Manhattan, Brooklyn ou Queens. A opção mais prática e simples é o táxi. A corrida do JFK para Manhattan custa US$ 52, mais pedágios e algumas taxas e gorjeta. Dá cerca de US$ 65 dólares tudo. O que é uma boa pedida, especialmente se você estiver num grupo de 3 ou 4 pessoas. Se vocês estiver só ou em dupla, os serviços de transfer também são uma boa opção. Eu, pessoalmente, optei por usar um dos serviços de Transfer que saem do aeroporto e nos deixam na porta do Hotel, quando fui a primeira vez em 2012. É um pouco mais barato que o táxi, custando cerca de US$ 22 por pessoa. Você pode contratá-lo antecipadamente pela internet ou mesmo já do próprio aeroporto. Próximo às saídas, há alguns telefones com linha direta para diversas empresas que oferecem esse tipo de transfer. Não tínhamos feito a reserva, usamos a linha direta e cerca de 15 minutos após a chamada, o pessoal chegou para nos buscar. A empresa que utilizamos foi a Super Shuttle. Foi rápido e o pessoal de apoio é muito educado. Aprovado! Mas isso só compensou porque estávamos em 2 pessoas. Se o grupo for de 3 ou 4 pessoas, aí já vale mais a pena pegar um táxi.

Entretanto, se você estiver numa viagem econômica e quiser realmente economizar, pode pegar o metrô. Além da tarifa normal, de US$ 2,75, há um acréscimo de US$ 5,00 pela viagem do e para o aeroporto. Para pegar o metrô saindo do JFK, você vai ter que ir até o aerotrem e embarcar até a estação Jamaica Center. É nesse ponto que você vai ter que adquirir o Metrocard e colocar pelo menos US$ 7,75 de crédito (não esqueça de acrescentar 1 dólar pelo cartão, caso não o tenha ainda). Já dentro da estação de metrô, você pode pegar as linhas J ou Z, caso queira ir para o sul de Manhattan. Ou a linha E, caso queira ir para os pontos mais próximos à Times Square, ao Central Park ou queira ir ao Queens, por exemplo. Caso precise acessar outros pontos de Manhattan ou queira ir ao Brooklyn, pegando a linha E, você pode baldear para as linhas M e R, na estação Forest Hills.

E para se deslocar na cidade? Alugar um carro? Táxi? Metrô? 

Eu usei um pouco dos três. Ou melhor, muito metrô e um pouco dos outros dois.

Vagão de metrô Nova Iorque

Um vagão de metrô de Nova Iorque e um jeito que você não vai encontrá-lo: vazio


Andar de metrô na cidade é muito fácil. E ainda acaba saindo mais barato. Outra vantagem é que ele funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana. Apesar que temos que ficar atento nos avisos afixados nas estações, algumas linhas não funcionam nas madrugadas e pode ter uma ou outra que tenha funcionamento diferenciado por conta de obras, que são comuns no metrô no Nova Iorque.

A tarifa de metrô é de US$ 2,75. Mas há passes semanais e mensais. Para usar o metrô de Nova Iorque é necessário adquirir o Metrocard nas bilheterias ou nas máquinas espalhadas pelas estações. O preço do cartão é de 1 dólar e ele pode ser recarregado. Se o perder, tem que pagar de novo. Se ele der defeito, não é necessário o pagamento, a substituição é gratuita. 

Eu comprei o passe de 1 semana, que hoje (2016) sai a 31 dólares (na verdade 32 porque a gente paga mais 1 dólar pelo cartão) e andava de metrô por todos os lados. É fácil, rápido e conseguimos chegar a quase todos os lugares. Aqui embaixo tem uma tabelinha para você calcular com quantas viagens passa  a ser vantajosa a aquisição de determinado tipo de tarifa. 

Valores tícket metrô de Nova Iorque


Mas não basta descer as escadas das estações e ir pegando o trem. Um bom mapa, impresso ou no smartphone, é fundamental. Sem ele, o risco da pessoa se perder no meio das diversas linhas e suas letras de identificação é muito grande. 

Neste link, você pode acessar o Mapa oficial do metrô de Nova Iorque. Uma vez no site, dá também para baixar um PDF para imprimir. Mas o que recomendo mesmo é um bom aplicativo de celular ou até mesmo o Google Maps. Com eles você indica seu ponto de partida e o de chegada e eles te indicarão qual a linha pegar e quanto tempo a viagem deve levar.

Táxi em Nova Iorque também é relativamente barato, mas há a enorme chance de você ficar preso no congestionamento, então usava pouco, somente para completar viagens de metrô, especialmente quando estava cansado e já não queria andar a pé. Muito práticos, quase todos aceitam cartão, inclusive, com o cálculo automático das gorjetas. Não esquecer que de praxe as gorjetas em Nova Iorque são de 20% para os taxistas. 

Alugar um carro acaba não sendo uma boa opção para se locomover pela cidade devido ao trânsito complicado e, principalmente, pelos altíssimos preços dos estacionamentos. Eles são muito caros mesmo: no dia que aluguei o carro, precisei de um pernoite em um estacionamento. Por apenas 8 horas , paguei 35 dólares! Um absurdo. Mas, a locação em si foi uma ótima opção para sair da cidade. Especialmente para ir ao Woodburry Outlet, em New Jersey. Para quem quer conhecer o Outlet, acho melhor alugar um carro do que pegar as excursões oferecidas nos hotéis. Sai quase o mesmo preço, considerando o aluguel e o combustível, mas você fica mais livre com seus horários. Eu só deveria ter me atentado antes à questão do estacionamento. Nesse post, explico com detalhes como foram minhas compras em Nova Iorque. Outra ocasião em que aluguei carro em Nova Iorque foi para fazer o bate e volta a Washington-DC. Como estávamos em 4 pessoas e pretendíamos passar 3 dias na capital do Estados Unidos, optamos pelo carro para termos mais liberdade para andar por lá e por acabar saindo mais barato, também. Foi uma experiência bem interessante e que depois contarei detalhadamente em outro post.

 

Em que época ir?


Convenhamos, ir à Nova Iorque já é uma maravilha, independente da época do ano. Mas, claro que há variações de clima ou acontecimentos na cidade que podem definir na decisão sobre qual período ir. Para aqueles que têm problemas com o frio, os melhores meses para a visita são de maio a setembro. Inclusive dizem que o mês de setembro é um mais agradáveis para se estar nem Nova Iorque. A temperatura está mediana e as paisagens estão lindas. A conferir. Já para quem quer tentar pegar uma nevezinha, os meses a escolher são de dezembro a fevereiro. 

Temperatuas Nova Iorque meses

Eu confesso que prefiro ir no inverno. A cidade fica mais charmosa, eu acho. E a gente pode usar aquelas roupas chiques e caras de inverno (que, diga-se de passagem são muito mais baratas lá do que aqui no Brasil). E eu adoro neve. Sei que para os moradores, neve é um saco, mas já que sou turista, não custa aproveitar!

Aqui tem um videozinho da nossa primeira vez em que vimos neve em New York:

Outra coisa deliciosa que podemos fazer em Nova Iorque no inverno é patinar no gelo. E há várias opções na cidade para essa atividade. Particularmente, acho a pista de gelo do Rockefeller Center a mais charmosa de Nova Iorque. Uma outra ótima opção é a pista que fica no Central Park. Além dessas, em diversas praças de Nova Iorque é possível encontrar também outras pistas de patinação.

Patinação Nova Iorque

Ringues de Patinação do Rockefeller center e do Central Park

 

Outros atrativos de Nova Iorque são seus inúmeros eventos. Quem nunca sonhou em passar o Natal ou o Ano Novo em Nova Iorque, por exemplo? Só aí já são dois bons motivos para visitar a cidade em dezembro e/ou janeiro. Mas aqui abro um enorme parênteses. Passar o Natal em Nova Iorque tem seus encantos e deve ser feito, já que poucas cidades no mundo conseguem passar um clima natalino como Nova Iorque. Mas prepare-se para encarar a cidade extremamente cheia e tumultuada. E quando eu falo tumultuada é no sentido de mal poder andar nas ruas nos horários de pico e nos dias que antecedem o Natal. É uma

Fevereiro também é um mês movimentado com a Parada do Ano Novo Chinês e a edição do 1º semestre da “New York Fashion Week“. Em março, há a parada do Saint Patrick’s Day. Em maio acontece o tradicional Festival Gastronômico Internacional. Em julho, acontecem as festividades do 4 de julho, Dia da Independência dos americanos. Em agosto, desembarca em Nova Iorque o US Open, um dos principais torneios do circuito mundial de tênis. 

Em setembro, é a vez da edição do 2º semestre do “New York Fashion Week” e do Broadway on Broadway, que consiste em apresentações teatrais gratuitas na Times Square. Em outubro, a festa fica por conta da parada do Columbus Day e do Halloween.

Em novembro, acontece a parada mais famosa da cidade: a parada do Dia de Ação de Graças da Macy’s. No dia seguinte ao dia de ação de graças, hora de correr para as lojas e aproveitar as super ofertas do Black Friday, com seus super descontos.

Seja qual for a época do ano, motivos não vão faltar para dar uma chegadinha em Nova Iorque. 

É isso, essas são nossas primeiras impressões de Nova Iorque. Mas a cidade ainda nos reservou muito mais. Não deixe de acompanhar nossos demais posts sobre a Big Apple.

Find-the-Perfect-Hotel 728x90

About Wesley Andrade

Viajante e escritor do blog Vividas Boas. Não perde a oportunidade de entrar em um avião para conhecer mais um pedaço desse mundo tão grande nessa vida tão curta. As estórias e as dicas acabam aparecendo aqui no blog entre uma viagem e outra.

10 Comments

  1. Pingback: Nova Iorque - Hora de ir às compras | Vividas Boas

  2. Pingback: Nova Iorque - Dicas de restaurantes e lanchonetes | Vividas Boas

  3. Pingback: Nova Iorque - Assistindo uma partida da NBA

  4. Pingback: 11 dias em Nova Iorque - The New York Botanical Garden - Vividas Boas

  5. Pois é, Fernanda, mas não esquente. Sempre faltará tempo em Nova Iorque. A cidade é muito grade e tem muita coisa legal para fazer. É bom que dá gás pra gente querer voltar de novo.

  6. Eu fiquei só 1 semana e faltou tempo!!!!

  7. Que bom que você gostou. Na parte final do post, tem os links para os outros 8 posts que fiz sobre NY. Dá uma olhadinha antes de ir e veja se algo te ajuda a escolher o que fazer. Abraços e obrigado pelo comentário.

  8. Muito legal o post. Vou para lá em Novembro e vou ficar 10 dias !!! =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • _Promo USA 728x90