Havaí – Oahu: Informações básicas

Como eu havia postado há algum tempo atrás, consegui uma super promoção pela Delta Airlines e comprei passagens de ida e volta para o Havaí por meros R$ 1.200, já inclusas as taxas. Um achado proporcionado pelo blog +Melhores DestinosPois bem, passagem na mão, embarquei para 06 dias nesse lugar paradisíaco, mais especificamente para a capital Honolulu, na ilha de Oahu.

O Havaí, para quem não sabe, é um dos 50 estados americanos localizado no meio do Pacífico Sul, formado por diversas ilhas, sendo apenas 8 delas habitadas. Dessas 8, três se destacam: Oahu, onde fica a capital Honolulu; Maui, ilha dos grandes resorts e das celebridades; e a Big Island, onde situa-se o parque dos vulcões.

Inicialmente, tinha me planejado para passar 4 dias em Oahu e 2 em Big Island para conhecer os vulcões. Porém, após os primeiros dias, desisti de ir para Big Island, pois acabaria não conhecendo direito nem uma das duas ilhas. Decidi, então, gastar os 6 dias em Oahu e conhecer essa ilha da melhor forma possível. Por tudo que li, realmente não vale a pena ir em mais de uma ilha se você tem menos do que 7 dias de viagem. Melhor explorar bem um local do que não conhecer bem dois.

 

Onde ficar:

 

O grande centro turístico da ilha gira em torno da Praia de Waikiki, em Honolulu, localizado no lado sul da ilha. Lá estão os melhores hotéis, hostels, restaurantes, lojas e feirinhas. Enfim, ficar hospedado em Waikiki garante a você proximidade de boa parte do agito turístico da ilha. 

Em relação a hotéis, há opções para todos os bolsos. Se quiser luxo, fique em um dos resorts à beira mar. Se, assim como a minha, sua viagem for mais econômica, há bons hotéis em Waikiki mesmo, a uma ou duas quadras da praia. Fiquei em dois e gostei muito de ambos: Hawaiian Monarch Hotel e Maile Sky Court, com uma leve vantagem para o segundo. Paguei menos de 200 reais em cada diária (isso com o dólar na casa dos 2 reais). Há também um bom hostel, muito recomendado e com ótimas avaliações, o Polynesian Hostel Beach Club.


Locomoção:

A oferta de transporte público em Honolulu é boa e andar de taxi não é muito caro. Porém, eu recomendo muito o aluguel de um carro. A relação custo x benefício é a melhor dentre as opções disponíveis, com certeza. Sem contar que você poderá explorar melhor cada local visitado. Eu aluguei um Jeep Wrangler, tração 4 x 4, por menos de 50 dólares a diária. E andar na ilha de carro é muito fácil. As vias são largas e bem sinalizadas e, com o apoio de um GPS, fica ainda mais fácil explorar todos os cantos da ilha.

Oahu

Meu brinquedo havaiano

Onde comer:

Bem, restaurantes definitivamente não são meus pontos fortes em uma viagem. Não que eu não ligue para comida, mas, na maioria das vezes, fico tão envolvido com a cidade que acabo não planejando onde vou comer. Aí acabo comendo por perto de onde estou na hora que a fome aperta. Apesar disso, acho que dá para garimpar boas experiências gastronômicas vivenciadas.

Como toda cidade essencialmente turística, a variedade de opções é enorme. Além da comida local, há muita oferta de comida japonesa, tailandesa, chinesa e tipicamente americana.

Como gosto muito de comida tailandesa, comecei por um dos mais famosos da região, o Keo’s Thai Cuisine. Ele é repleto de indicações em revistas especializadas. O atendimento e a comida foram fantásticos. O restaurante fica na Kuhio Avenue, em Waikiki. Minha sugestão de prato é o Spicy Scallops with Lemongrass and Peppers. Simplesmente divino. 

Outro lugar que sempre frequento, apesar de ser bem clichê, mas eu adoro, é o Hard Rock Cafe. O de Honolulu não foge dos padrões da rede. Bem decorado ao estilo do bom e velho rock and roll, o HRC conta com música ao vivo em um ambiente, música eletrônica em outro e muita gente bonita. Quanto à comida, fui de fish and fries, não tinha como errar!

Nos hotéis, também costuma haver locais interessantes para comer. Por exemplo, no primeiro hotel que fiquei, o Hawaiian Monarch Hotel, há barzinho muito bom localizado no piso inferior ao lobby. Várias TVs para você acompanhar os principais esportes americanos, karaokê à noite e, o mais interessante, cerveja a 1 dólar a caneca. Isso mesmo. Só um dólar! E para comer, havia uns snacks que dava para matar a fome no aperto da noite.

Já a comida local, como era de se esperar você encontra com facilidade, principalmente nos restaurantes dos hotéis localizados a beira da praia de Waikiki. Um dos mais famoso é o Duke’s Canoe Club. É imperdível o jantar ao pôr do sol, ao som da melódica música havaiana. Quantos aos pratos, escolha dentre a imensa variedade de frutos do mar. Não irá se arrepender.

Outra dica imperdível, e folclórica, da comida local é o Giovanni’s Shrimp Truck. É um trailer localizado na estrada rumo ao litoral norte, na Kamehameha Highway. Ao redor, há um pequena feirinha com produtos típicos e frutas da região. Parar ali é uma atração, tanto que é muito cheio. No dia que fui, já era tarde, por volta das 14hs e esperei cerca de meia hora pela comida. Os pratos, como o próprio nome diz, são todos a base de camarão, geralmente acompanhado com arroz. Uma delícia. Com uma água de coco fresco, vendida no quiosque ao lado, a refeição fica perfeita. Por fim, a tradição manda que você escreva seu nome na lataria do trailer para recordação.

Giovanni's Shrimp Truck

Fechando as dicas gastronômicas, aproveite as redondezas das praias por onde passar para comer. Com certeza vocês encontrão muitas coisas interessantes.

Descobrindo a ilha:


Nos 6 dias que fiquei na ilha, consegui percorrer todo seu litoral de carro. Não é muito grande. Por exemplo, da ponta sul à ponta norte da ilha, são pouco mais de 60 quilômetros. Claro que não dá pra ver e fazer tudo, mas acho que consegui ter um bom panorama nesses poucos dias que passei lá. E claro, também, que não sai dirigindo feito um desembestado. Cada pedacinho foi curtido ao máximo. Tanto que o trajeto que poderia ser feito em uma hora, levava 8 ou 9 horas.

A ilha de Oahu é dividida no mapa em quatro partes: North Oahu, South Oahu, East Oahu e West Oahu. Além disso, ainda há o centro da ilha  conforme mostra o mapa abaixo:

MAPA Oahu


A parte sul é a mais urbana, onde fica a capital do Havaí, Honolulu, e seu baiiro mais famoso: Waikiki. A cratera Diamond Head também fica na áera sul da ilha, assim como o aeroporto. Já no lado leste, uma das principais atrações é a paradisíaca Hanauma Bay. No Norte, as grandes atrações são as belíssimas praias e suas ondas perfeitas para a prática do surfe. No lado Oeste, é onde ficam os grandes e maravilhosos resorts da ilha. Além disso, há lindas praias quase desertas pedindo para serem descobertas. Por fim, o Centro da ilha é cortado pela principal Highway da ilha, pela qual você consegue chegar a quase todos os pontos da ilha. De atrações principais, o centro conta com a base de Pearl Harbor e a Dole Plantation, uma fazenda especializada em abacaxis.

Bem, esse é o resumo do que se pode fazer na ilha de Oahu, no Havaí. Agora, o que fiz em cada parte da ilha vai rendar estórias que ficarão para os próximos posts. Abraços e ALOHA!

About Wesley Andrade

Viajante e escritor do blog Vividas Boas. Não perde a oportunidade de entrar em um avião para conhecer mais um pedaço desse mundo tão grande nessa vida tão curta. As estórias e as dicas acabam aparecendo aqui no blog entre uma viagem e outra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • 1001 - 728x90