• 1001 - 728x90

El Calafate – a Navegação por entre os glaciares


Navegação El Calafate
Glaciar Perito Moreno

Uma das grandes atrações de El Calafate são seus Glaciares, tanto que ela é conhecida como a Capital Nacional dos Glaciares. Nela, fica uma das entradas para o Parque Nacional Los Glaciares, o segundo maior Parque Nacional da Argentina, com 170 km de extensão e 759.000 hectares de área. A outra entrada fica na cidade de El Chaltén. O Parque Nacional contém 47 grandes Glaciares, dos quais 13 alimentam o Lago Argentino (El Calafate) e o Lago Viedma (El Chaltén).


Navegação El Calafate
Lago Argentino

Uma das formas de conhecer os Glaciares que ficam na parte de El Calafate do Parque Nacional é fazendo o passeio de catamarã pelo Lago Argentino. O que fiz chamava-se Navegação Todo Glaciares, mas hoje ele não é mais operado. Não de uma vez só em um só passeio. Há duas outras navegações distintas. Um se chama Ríos de Hielo Express, e é operado pela empresa Solo Patagonia, que é a mesma que operava a Todo Glaciares. A agência fica bem no início da Av. Libertador Gral. San Martín, mas também pode ser adquirido em diversas agências menores que revendem o passeio. Essa é a navegação que mais se aproxima da que fiz, percorrendo quase todo o Lago Argentino, exceto a parte que passa pelo Glaciar Perito Moreno. Ela custa 1100 pesos. Porém, além desse valor, a gente tem que pagar mais 200 pesos pela tarifa de entrada no Parque Nacional, totalizando 1300 pesos (o que dá cerca de R$ 520), já incluído o trasporte de ida e volta, em ônibus de turismo, de El Calafate até o porto Punta Bandera, a 80 quilômetros da cidade. O passeio completo tem a duração de cerca de 5 horas. O embarque no catamarã é às 8:30 da manhã, a partida é às 9 e o retorno às 14. É, eu sei, não é nada barato, mas prepare-se, em El Calafate nenhum dos passeios é. Daí, dentre as opções que encontrei, essa revelou-se ter um bom custo x benefício entre o valor cobrado e o que é oferecido.

A outra opção é bem mais barata, justamente por ir apenas a um só Glaciar: o Perito Moreno, navegando pelo Lago Rico. Ela é operada pela empresa Hyelo y Aventura (o escritório fica bem no início da Av. Libertador Gral. San Martín) e custa 250 pesos, mais os 200 pela entrada no Parque Nacional, totalizando 450 pesos (cerca de 180 reais). Essa navegação dura cerca de  1 hora, com duas possibilidade de partida, uma às 10 da manha e outra às 15 horas.

Ou seja, a experiência que conto no texto é a soma das duas navegações citadas acima.

Hoje vale a pena fazer os dois?

Na minha opinião, não. Eu iria só no primeiro. Se quiser conhecer o Glaciar Perito Moreno, tem outras duas maneiras bem melhores: uma é fazendo o Minitrekking, que é uma caminhada em cima do Glaciar, uma experiência fantástica e que não requer nenhuma experiência ou preparo físico e conto nesse post. No Minitrekking, inclusive, é feita a navegação para que se possa chegar no glaciar. A outra é passear pelas galerias do Parque Nacional que ficam de frente para o Glaciar Perito Moreno. Você pagará apenas a entrada do parque, 200 pesos para nós do Mercosul (cerca de 80 reais) e terá uma visão fantástica do Glaciar, porém não irá navegar. Mas para ver o fenômeno mais aguardado do Glaciar, que é o desprendimento de seus blocos, um dos melhores lugares é das galerias.

Dito isso, conto minha estória.

Navegação Glaciares

A duração da navegação foi de cerca de 7 horas. O embarque é às 8:30 da manhã, com partida às 9. Porém, o passeio começa bem mais cedo, logo às 7 horas, horário aproximado em que o ônibus costuma nos pegar na porta do hotel. Depois de 1 hora no ônibus, chegamos ao porto, pegamos uma pequena fila para pagar a taxa de embarque e entramos no luxuoso catamarã. Antes de começar a contar como foi essa viagem pelos glaciares, deixo duas dicas importantes: 1) leve comida, pois no barco só são vendidos pequenos lanches e bebidas e, além do mais, é bastante caro consumir qualquer coisa lá; 2) Agasalhe-se bem. A temperatura dentro do catamarã é controlada, porém do lado de fora faz um frio de congelar. E não vamos entrar numa aventura dessas para ficar sentados dentro do barco contemplando tudo só pela janela, não é?


Amanhecer Glaciares
O Amanhecer

Após dadas as instruções de segurança, o catamarã começa a navegar calmamente pelo Lago Argentino. E logo nos primeiros minutos, já temos uma demonstração de quão linda será a viagem: o raiar do sol por detrás atrás das montanhas é de uma beleza ímpar. Aliás, o sol nos acompanhou a viagem toda, proporcionando cenas espetaculares. Os efeitos produzidos pela luz do sol refletindo na água, nas montanhas e nos icebergs  faziam com que as paisagens fossem se alterando o tempo todo. Muito lindo!


Navegação Glaciares
Nosso companheiro de viagem


Com pouco mais de uma hora de navegação, começam a aparecer os primeiros blocos de gelo perdidos, flutuando no lago. Logo mais um pouquinho, surge o primeiro Iceberg. Interessante como os tons de azuis vão variando de uma para outro. Nem parece que todos são feitos do mesmo gelo! Simplesmente impressionante! Em alguns momentos, a visão da paisagem e da natureza e a música suave tocando ao fundo mostravam uma harmonia tão perfeita que era impossível não sentir uma paz, uma satisfação imensa de estar ali contemplando aquilo tudo.

Navegação Glaciares

Não demora muito e avistamos o primeiro Glaciar: o Upsala. Ele é nada mais, nada menos que o maior glaciar em extensão do Parque. A barreira branca de gelo se estende até desaparecer no horizonte de tão grande. Uma pena que, por questões de segurança, o barco não pôde chegar muito perto, pois havia muitos blocos se desprendendo do glaciar.

Navegação Glaciares
Glaciar Upsala


Seguindo nosso rumo, passamos por alguns glaciares menores pelo caminho até chegarmos no Glaciar Spegazzini, o mais alto deles. Como chegamos bem mais perto desta vez, foi possível ver sua imponência e tamanho. Não dá pra descrever tanta beleza. Espero que as fotos traduzam melhor o que eu estava presenciando. Aquele gelo todo descendo das cadeias de montanhas e formando uma parede de gelo gigante. E não demora muito para eu presenciar uma das cenas mais esperada por nós: a ruptura do glaciar, ou seja, o fenômeno de desprendimento e queda de blocos de gelo. E o barulho que ela faz ao cair?! Um bloco relativamente pequeno de gelo faz um tremendo estrondo ao se romper e cair na água.

Navegação Glaciares
Glaciar Spegazzini


A esse momento já passamos do meio dia. O pessoal da tripulação “pesca” um grande pedaço de gelo que flutuava pelo lago e logo, logo ele já é a atração dentre os navegantes! Eu mesmo não pude deixar de registrar esse momento. 🙂

Navegação Glaciares

Para fechar com chave de ouro, chegamos ao mais famoso dos glaciares: o Perito Moreno. Mais famoso porque em torno dele foi levantada toda estrutura turística dos glaciares. Da parte terrestre, dá pra vê-lo das galerias. É possível também fazer trekking sobre sua superfície (eu fiz e conto no próximo post). Enfim, ele é a grande vedete dos glaciares. É impossível tirar os olhos daquela parede azul. Hipnotizante. 

Navegação Glaciares
Glaciar Perito Moreno


Navegação Glaciares
Perito Moreno – vista aérea


Hora de voltar. A viagem deveria oferecer também uma aportagem e caminhada de uns 800 metros pela Bahia Onelli, mas durante o inverno raramente ele fazem essa parada por causa das condições climáticas. Então, restou sentar e curtir o resto da navegação de volta ao porto. Por volta das 4 da tarde, chegamos, embarcamos nos ônibus e rumamos de volta a El Calafate.

Navegação Glaciares
Meu vídeo do resumo de como foi o passeio


Antes de encerrar o post, não posso deixar de contar o que considerei meu highlight na navegação. Não foram os glaciares, nem o lago, nem as montanhas. Foi um acontecimento. Ainda no início da manhã, um casal de idosos, aparentando ter uns 70 anos de idade tirava fotos com aquelas máquinas antigas de filme de rolo. Como estava próximo, pediram para eu tirar uma fotos deles juntos. Tirei a foto e me propus para tirar mais uma, só que do outro lado do barco. Aí veio a surpresa, a senhorinha disse: “não, meu filho, só uma basta, é só para mostrar para a família. O que importa é que estamos tendo a oportunidade de viver essa experiência e ver todas essas maravilhas”. Precisa dizer mais alguma coisa? É uma lição que vou levar pra o resto da minha vida! Às vezes a gente fica tão preocupado em tirar fotos que acaba esquecendo do mais importante: viver o momento!

É isso o que tinha para compartilhar com vocês sobre a navegação “Todo Glaciares”. No próximo post, contarei como foi a aventura de caminhar sobre o Glaciar Perito Moreno!

About Wesley Andrade

Viajante e escritor do blog Vividas Boas. Não perde a oportunidade de entrar em um avião para conhecer mais um pedaço desse mundo tão grande nessa vida tão curta. As estórias e as dicas acabam aparecendo aqui no blog entre uma viagem e outra.

One Comment

  1. Pingback: El Calafate - Minitrekking sobre o Glaciar Perito Moreno | Vividas Boas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • 1001 - 728x90